Menu de Categorias

Postado por em 06/10 em Mulher

ONU Mulheres e entidades parceiras inscrevem, até 13/10, para curso gratuito de comunicação, saúde e direitos das mulheres em Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador

ONU Mulheres e entidades parceiras inscrevem, até 13/10, para curso gratuito de comunicação, saúde e direitos das mulheres em Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador

Inscrições começam nesta segunda-feira (2/10) e se estendem até 13 de outubro pelo blog comunicacaoedireitosdasmulheres.wordpress.com, com limite de 50 pessoas por turma. Curso será ministrado para duas turmas: uma para jornalistas e outra para comunicadoras, comunicadores e ativistas Faça a sua inscrição: Turma Jornalistas: Rio de Janeiro (16 e 17/10/17), Natal (24 e 25/10/17), Salvador (6 e 7/11/17) e Recife (13 e 14/11/17). Turma Comunicadoras e comunicadores: Rio de Janeiro (18 e 19/10/17), Natal (25 e 26/10/17), Salvador (9 e 10/11/17) e Recife (16 e 17/11/17). Jornalistas, comunicadoras, comunicadores e ativistas de Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador podem se inscrever a partir desta segunda-feira (2/10) até o dia 13 de outubro para o Curso de Comunicação, Saúde e Direitos das Mulheres, promovido pela ONU Mulheres e entidades parceiras do campo da comunicação e outras agências das Nações Unidas, com apoio de empresas de comunicação digital. O curso é viabilizado por projeto de cooperação entre a ONU Mulheres e a Fundação Ford, para incentivar a qualificação da cobertura local da imprensa, de plataformas digitais de comunicação livre, veículos de comunicação comunitários e populares sobre a realidade...

Read More

Postado por em 29/09 em Empoderamento

Coletivo de Mulheres do Calafate: 25 anos de resistência e luta pelos direitos das mulheres

Coletivo de Mulheres do Calafate: 25 anos de resistência e luta pelos direitos das mulheres

Por Redação Odara Este ano, o Coletivo de Mulheres do Calafate (CMC) completou 25 anos de resistência e luta pela garantia dos direitos das mulheres e do empoderamento comunitário.  Com atuação histórica no movimento feminista baiano e brasileiro, o CMC tem realizado ações importantes para o fortalecimento de um Estado democrático com participação efetiva das mulheres nas diferentes esferas, a partir do controle social permanente das políticas públicas direcionadas as mulheres, principalmente, no campo da saúde e dos Direitos Sexuais e Reprodutivos; do enfrentamento a violência; da economia solidária entre outras. Confira na íntegra entrevista do Coletivo de Mulheres do Calafate concedida a equipe de comunicação do Odara – Instituto da Mulher Negra e conheça mais sobre a trajetória política e os desafios apresentados pelo Coletivo na atual conjuntura, no que diz respeito aos direitos e participação política das mulheres. Leia entrevista completa! Como e quando surgiu o Coletivo de Mulheres do Calafate? CMC- O Coletivo de Mulheres do Calafate foi criado em 08 de outubro de 1992, por...

Read More

Postado por em 25/09 em Ações

Odara compõe Conselho Estadual de Fomente e Colaboração

Odara compõe Conselho Estadual de Fomente e Colaboração

  Nesta última quarta-feira (20), aconteceu o ato solene de posse dos membros da primeira composição do Conselho Estadual de Fomento e Colaboração (CONFOCO), no Auditório do Centro de Operações e Inteligência da SSP, no Centro Administrativo. O CONFOCO/BA foi criado pelo Decreto Estadual nº 17.091, de 5 de outubro de 2016, consoante Lei nº 13.019/2014, que estabelece o regime jurídico das parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil, em regime de mútua cooperação, para a consecução de finalidades de interesse público e recíproco. O Conselho é de constituição paritária, vinculado à Secretaria de Relações Institucionais do estado da Bahia (SERIN), órgão responsável pela sua secretaria executiva. O CONFOCO tem como objetivo atuar como instância consultiva e propositiva, na formulação, implementação, acompanhamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas de parcerias de mútua cooperação. Composição – O Conselho é composto por vinte membros titulares e igual número de suplentes, sendo dez representantes do Poder Público e dez da Sociedade Civil, que foram nomeados por ato do Governador do Estado....

Read More

Postado por em 22/09 em Mulher

Racismo na saúde: da esterilização às mortes maternas

Racismo na saúde: da esterilização às mortes maternas

Por Vinícius Martins O termo racismo institucional foi definido pela primeira vez pelos integrantes dos Panteras Negras (EUA), Stokely Carmichael e Charles Hamilton em 1967, no livro Black Power: the politics of liberation in America. Segundo os autores, “trata-se da falha coletiva de uma organização em prover um serviço apropriado e profissional às pessoas por causa de sua cor, cultura ou origem étnica”. No Brasil a ideia é apresentada pela pesquisadora do campo da saúde e diretora executiva da Anistia Internacional, a médica Jurema Werneck. Para ela, o racismo institucional é “um modo de subordinar o direito e a democracia às necessidades do racismo, fazendo com que os primeiros inexistam ou existam de forma precária diante de barreiras interpostas na vivência dos grupos e indivíduos aprisionados pelos esquemas de subordinação deste último”. A história da população negra no Brasil conta com diversos exemplos de racismo institucional. Para além dos conflitos urbanos, as desigualdades econômicas e sociais geram violações em diversos campos. “O Estado brasileiro é racista. As instituições públicas e...

Read More
Página 1 de 3412345...Última »