Menu de Categorias

Postado por em 28/11 em Geral, Mulher

MINHA MÃE NÃO DORME ENQUANTO EU NÃO CHEGAR

MINHA MÃE NÃO DORME ENQUANTO EU NÃO CHEGAR

Equipe Odara e parceiras se reúnem para pensar o atendimento psicossocial das vítimas do Estado   Dialogar sobre uma metodologia de atendimento psicossocial para mulheres vítimas da violência do Estado foi o foco do encontro com psicólogas (os) e assistentes sociais, realizado pelo Odara – Instituto da Mulher Negra, na última quarta-feira (22), em Salvador. O evento contou com a presença da psicóloga e psicanalista do Instituto AMMA Psique e Negritude, Maria Lucia da Silva, da psicóloga social e coordenadora executiva do Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades (CEERT), Cida Bento, e de cerca de 20 profissionais baianos das áreas. Construir uma metodologia que responda a emergência e qualificação no serviço de atendimento a mães e familiares que perderam seus filhos vitimas da violência policial é um dos desafios do projeto Minha Mãe Não Dorme Enquanto Eu Não Chegar, desenvolvido pelo Instituto Odara.  O projeto atua há dois anos em comunidades da periferia de Salvador: Cabula, Nordeste de Amaralina, Uruguai e Subúrbio Ferroviário, e tem como...

Read More

Postado por em 27/11 em Mulher

TRAGA-ME A CABEÇA DE LIMA BARRETO! Estreia em Salvador (30/11)

TRAGA-ME A CABEÇA DE LIMA BARRETO! Estreia em Salvador (30/11)

Hilton Cobra comemora 40 anos de carreira e estreia em Salvador peça teatral que celebra a genialidade e a obra de Lima Barreto Celebrando 40 anos de carreira, o ator e diretor Hilton Cobra traz a Salvador seu elogiado espetáculo teatral “Traga-me a cabeça de Lima Barreto”, inspirado livremente na obra do escritor brasileiro Lima Barreto (1881-1922). O texto foi escrito especialmente por Luiz Marfuz para Hilton Cobra e tem direção de Fernanda Júlia (do NATA – Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas. A estreia será em 30.11.2017, no Teatro Vila Velha, seguindo em curta temporada, de 01 a 10 de novembro, de quinta a domingo.   A peça mostra uma imaginária sessão de autópsia na cabeça de Lima Barreto, conduzida por médicos eugenistas, defensores da higienização racial no Brasil, na década de trinta. O propósito seria esclarecer “como um cérebro considerado inferior poderia ter produzido uma obra literária de porte se o privilégio da arte nobre e da boa escrita é das raças tidas como superiores?”. A partir desse...

Read More

Postado por em 06/10 em Mulher

ONU Mulheres e entidades parceiras inscrevem, até 13/10, para curso gratuito de comunicação, saúde e direitos das mulheres em Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador

ONU Mulheres e entidades parceiras inscrevem, até 13/10, para curso gratuito de comunicação, saúde e direitos das mulheres em Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador

Inscrições começam nesta segunda-feira (2/10) e se estendem até 13 de outubro pelo blog comunicacaoedireitosdasmulheres.wordpress.com, com limite de 50 pessoas por turma. Curso será ministrado para duas turmas: uma para jornalistas e outra para comunicadoras, comunicadores e ativistas Faça a sua inscrição: Turma Jornalistas: Rio de Janeiro (16 e 17/10/17), Natal (24 e 25/10/17), Salvador (6 e 7/11/17) e Recife (13 e 14/11/17). Turma Comunicadoras e comunicadores: Rio de Janeiro (18 e 19/10/17), Natal (25 e 26/10/17), Salvador (9 e 10/11/17) e Recife (16 e 17/11/17). Jornalistas, comunicadoras, comunicadores e ativistas de Natal, Recife, Rio de Janeiro e Salvador podem se inscrever a partir desta segunda-feira (2/10) até o dia 13 de outubro para o Curso de Comunicação, Saúde e Direitos das Mulheres, promovido pela ONU Mulheres e entidades parceiras do campo da comunicação e outras agências das Nações Unidas, com apoio de empresas de comunicação digital. O curso é viabilizado por projeto de cooperação entre a ONU Mulheres e a Fundação Ford, para incentivar a qualificação da cobertura local da imprensa, de plataformas digitais de comunicação livre, veículos de comunicação comunitários e populares sobre a realidade...

Read More

Postado por em 22/09 em Mulher

Racismo na saúde: da esterilização às mortes maternas

Racismo na saúde: da esterilização às mortes maternas

Por Vinícius Martins O termo racismo institucional foi definido pela primeira vez pelos integrantes dos Panteras Negras (EUA), Stokely Carmichael e Charles Hamilton em 1967, no livro Black Power: the politics of liberation in America. Segundo os autores, “trata-se da falha coletiva de uma organização em prover um serviço apropriado e profissional às pessoas por causa de sua cor, cultura ou origem étnica”. No Brasil a ideia é apresentada pela pesquisadora do campo da saúde e diretora executiva da Anistia Internacional, a médica Jurema Werneck. Para ela, o racismo institucional é “um modo de subordinar o direito e a democracia às necessidades do racismo, fazendo com que os primeiros inexistam ou existam de forma precária diante de barreiras interpostas na vivência dos grupos e indivíduos aprisionados pelos esquemas de subordinação deste último”. A história da população negra no Brasil conta com diversos exemplos de racismo institucional. Para além dos conflitos urbanos, as desigualdades econômicas e sociais geram violações em diversos campos. “O Estado brasileiro é racista. As instituições públicas e...

Read More

Postado por em 24/07 em Empoderamento, Mulher

MOVIMENTOS DE MULHERES NEGRAS DA BAHIA ORGANIZA MARCHA NO DIA 25 DE JULHO

MOVIMENTOS DE MULHERES NEGRAS DA BAHIA ORGANIZA MARCHA NO DIA 25 DE JULHO

Denunciar a proporção e a invisibilização da violência contra as mulheres negras está entre as pautas centrais   O dia 25 de Julho é marcado internacionalmente como o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Aqui no Brasil, no mesmo dia, também é comemorada a memória da histórica líder quilombola Tereza de Benguela. Para reverenciar a força das ancestrais, e a luta cotidiana das mulheres negras, o movimento de mulheres negras da Bahia promove a “Marcha Pela Vida das Mulheres Negras 2017”, com concentração em frente ao Iguatemi, às 9h. A marcha irá destacar a necessidade de mais ações coletivas e de políticas públicas efetivas que visem o enfrentamento da violência recorrente e sistemática contra as mulheres negras. De acordo com o “Mapa da Violência 2015: Homicídios de Mulheres no Brasil”, realizado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FlACSO), o assassinato de mulheres negras aumentou 54% nos últimos dez anos, de 1.864 (2003) para 2.875 (2013). Em 2013, a taxa de mortes por assassinato de mulheres no Brasil, para...

Read More

Postado por em 13/07 em Mulher

A ATIVISTA E FILÓSOFA ANGELA DAVIS VEM A SALVADOR PARA O JULHO DAS PRETAS

A ATIVISTA E FILÓSOFA ANGELA DAVIS VEM A SALVADOR PARA O JULHO DAS PRETAS

A feminista negra mundialmente conhecida faz conferência para falar das lutas das mulheres negras ao longo da história   Por Alane Reis Odara Instituto da Mulher Negra As atividades do Julho das Pretas 2017 tem lotado espaços da cidade com debates das mais diversas áreas de conhecimento sobre as mulheres negras, mas nada tem causado tanto frisson como a presença da ativista Angela Davis, em Salvador, no dia 25 de julho, às 18h, no auditório da Reitoria da UFBA, no bairro do Canela. Ícone das lutas feministas e negras no mundo, a filósofa, é uma das pioneiras a estabelecer a correlação entre o racismo, o sexismo e o capitalismo, o que atualmente é definido como interseccionalidade. Angela Davis falará para o público na conferência intitulada: “Atravessando o Tempo e Construindo o Futuro da Luta Contra o Racismo”. A atividade é organizada através da parceria entre o Coletivo Angela Davis (UFRB), o Odara Instituto da Mulher Negra, e o Núcleo de Estudos Interdisciplinar da Mulher (NEIM/UFBA). Entre as expectativas para...

Read More
Página 1 de 1012345...Última »