Menu de Categorias

Postado por em 11/04 em Geral | 0 comentários

Escolas com banda larga quase triplicam em cinco anos

Escolas com banda larga quase triplicam em cinco anos

Escolas com banda larga quase triplicam em cinco anosAmpliar

Em 2012, 86% da rede pública urbana têm o serviço

Neste ano foram feitas 730 novas conexões de banda larga em escolas públicas urbanas, o que elevou o número de instituições de ensino atendidas para 59,9 mil – 2,7 vezes mais que as 21,5 mil conectadas no primeiro ano do programa (2008). O levantamento, do final de março, é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Hoje, a cobertura é de 86% das 69,6 mil instituições de ensino que atendem aos critérios do programa, segundo o censo escolar de 2010, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação. Em 2008, essa proporção era de 38,3%, considerando que a quantidade de escolas da época era de 56 mil.

Programa – O Programa Banda Larga nas Escolas resulta de um compromisso voluntário das concessionárias de telefonia fixa firmado durante a mudança do Plano Geral de Metas para a Universalização (PGMU) do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC).

Na época, as operadoras e o Ministério das Comunicações concordaram em instalar Postos de Serviços de Telecomunicações (uma espécie de Lan house das operadoras) pela obrigação de levar a rede de telecomunicações de alta velocidade, o chamado backhaul, a todos os municípios até o fim de 2010. Por meio de aditivos contratuais, a mudança assegurou também a conexão das escolas públicas urbanas. Conforme o compromisso assumido pelas empresas, mesmo as novas escolas que surgirem durante a execução do programa estarão conectadas até o fim de 2010. Essa quantidade de escolas é dinâmica, não só porque são construídas novas unidades como também porque mais delas passaram a ser consideradas urbanas pelas prefeituras.

Conexões de internet popular chega a 1,2 milhão

Como parte do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), o número de conexões de internet popular já chega a 1,2 milhão. O serviço de ligação à rede mundial a R$ 35 mensais e com capacidade de 1 Mbps (megabit por segundo) começou a ser oferecido ao público, em outubro de 2011, após acordo entre as operadoras e o Ministério das Comunicações. Antes do acordo, algumas empresas ofereciam esse preço, mas de forma limitada a algumas cidades.

O PNBL visa massificar a oferta de acessos banda larga à internet. A Telebras, antiga holding das empresas estatais de telefonia, foi reestruturada e reativada pelo governo para se tornar a operadora do backbone da rede pública nacional que será usada pelo PNBL. A meta para 2014 é chegar a 40 milhões de domicílios conectados à rede mundial de computadores.

Para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o Brasil segue a tendência internacional, pois o consumidor brasileiro prefere a internet móvel à fixa. O uso da conexão móvel cresceu 103,3% em 2011, até chegar a 45,89 milhões de aparelhos conectados em janeiro. Já a ligação fixa cresceu cinco vezes menos (19,4%) no ano passado, até chegar a 18,47 milhões.

Fonte: Secom

Comments

comments