Manifesto da Rede das Mulheres Negras do Nordeste pela Democracia

 

download

Salvador, 9 de abril de 2016

 

“Liberdade,liberdade abre as asas sobre nós, que a voz da liberdade seja sempre a nossa voz…”

 

O Brasil passa por um momento de risco, onde o que está em jogo é a ruptura de um processo de construção da democracia que tem se dado nas últimas quatro décadas. Essa fase se caracterizou com a pluralidade de vozes, identidades e sujeitos políticos que compõem o mosaico do país.

O percurso de ampliação de direitos à liberdade de expressão, acesso à educação, política habitacional, saúde pública, da afirmação das mulheres, negros/as, comunidades quilombolas, LGBT e a derrocada do mito democracia racial foram conquistas caras forjadas pelo movimento social.

O projeto de governo dos últimos 15 anos possibilitou a ampliação de diálogo, visibilidade das questões sociais e inclusão social. Esse contexto favoreceu o fortalecimento da participação popular por meio dos conselhos, conferências, concertações, além da criação de estruturas de gestão como ministérios da Mulher, Igualdade Racial, Direitos Humanos, que produziram novas referências de políticas públicas por meio da elaboração de planos, programas e legislações que deram base jurídicas para garantia desses direitos.

Se por um lado este processo favoreceu uma parcela significativa da população que estava em situação de profunda desigualdade, gerou também uma reação agressiva por parte dos grupos econômicos e famílias que historicamente se beneficiavam de privilégios, dos bens e da riqueza gerados no país. A partir do seu lugar de poder lançam mão de argumentos e práticas que violam direitos e rasgam a constituição.

Para nós, mulheres negras, é fundamental resistir e continuar lutando pela consolidação de um estado democrático de direito, se opondo a esta onda de retrocesso, ódio e fundamentalismo. Por isso, reivindicamos o Bem Viver expresso também no direito de ir e vir, na laicidade do estado, no fim da violência, do racismo do sexismo e da lebofobia, que viola, estupra, mata e nega a capacidade de gestão da mulher que ocupa o cargo máximo do país – o que atinge diretamente às mulheres.

“Não vai ter golpe, Mulheres Negras na luta por Democracia”

 

Informações sobre a Rede de Mulheres Negras do Nordeste:  É uma rede de organizações de mulheres negras com atuação na região do Nordeste brasileira com foco no fortalecimento da luta das mulheres negras contra o racismo, o sexismo e pela garantia da sua autonomia. Compõe a Rede de Mulheres Negras do Nordeste organizações da Bahia, Maranhão, Sergipe, Rio Grande do Norte, Piauí, Paraíba, Alagoas e Pernambuco.

Deixar uma resposta