Mulher trans é assassinada a facadas em ponto de ônibus no bairro Largo do Tanque, em Salvador (BA)

Estudante e rifeira, Deyse Anne Diógenes França Santos, já vinha sofrendo violência doméstica cometida pelo ex-companheiro

Uma mulher trans identificada como Deyse Anne Diógenes França Santos, de 32 anos, foi esfaqueada e morta na última terça-feira (26), em Salvador (BA). A vítima foi abordada  em um ponto de ônibus no bairro Largo do Tanque. Os dois suspeitos, que estavam em uma moto, fugiram em seguida e ainda não foram localizados pela polícia.

A mulher foi socorrida e levada para o Hospital Geral Ernesto Simões Filho, no bairro do Pau Miúdo, mas acabou não resistindo aos ferimentos.

Segundo informações da Revista Afirmativa, Deyse Anne era aluna de um curso preparatório para conclusão do ensino médio ofertado pelo Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT do Estado da Bahia (CPDD-LGBT). 

“Ela vinha sofrendo violência doméstica após um término de relacionamento com o companheiro. Para nós da equipe e as integrantes do grupo hoje foi um dia de muito impacto”, relatou Reinaldo Barbosa, coordenador do CPDD-LGBT, à Afirmativa. Ele contou ainda que Deyse Anne era uma aluna muito esforçada. 

O assassinato será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ainda segundo a Revista Afirmativa, a polícia investiga se o crime se configura como um caso de feminicídio.

A vítima trabalhava com venda de rifas e é a segunda mulher trans com essa ocupação assassinada em Salvador no mês de julho. A primeira vítima foi  Isabela Santos, mulher trans de 23 anos, que desapareceu em 20 de junho, no bairro de Pirajá, e teve o corpo encontrado no dia 14 julho com sinais de perfurações provocadas por disparos de arma de fogo. A polícia também vem investigando se os casos têm alguma relação com trabalho das mulheres.

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.