Não podemos eleger racistas! Silvio Mendes (União Brasil), candidato a governador do Piauí, diz que jornalista “é quase negra na pele, mas é inteligente”

A fala aconteceu durante sabatina realizada pela TV Meio Norte e teve grande repercussão na internet

Ao responder pergunta da jornalista Katya Dangelles sobre suas propostas para as mulheres, o candidato a governador do estado do Piauí, Sílvio Mendes (União Brasil), afirmou que a jornalista “é quase negra na pele, mas é inteligente”. A fala racista de Sílvio aconteceu durante uma sabatina realizada pela TV Meio Norte, na última quarta-feira (31), e teve grande repercussão na internet.

A fala de Sílvio para se referir a Katya, apesar de curta, revela várias facetas do racismo à brasileira. Primeiro o candidato usa a palavra “quase” para colocar que, por ter um tom de pele não tão escuro, a jornalista não chega a ser negra, como se o contrário fosse uma ofensa. Em seguida, diz “mas é inteligente”, revelando de vez a sua mentalidade racista, de quem acredita que pessoas negras são naturalmente ignorantes e incapazes de ocupar lugares de destaque.

É comum a tentativa de “elogiar” pessoas negras utilizando frases como “mas você nem é tão negra” ou “mas seu cabelo nem é duro”, naturalizando e perpetuando a ideia de que toda e qualquer característica associada à negritude é feia, ruim e indesejada. No entanto, é muito revelador quando um candidato a governador se sente à vontade para disparar uma frase desse tipo em uma entrevista na televisão, com milhares de pessoas assistindo. 

O posicionamento de Sílvio é um reflexo do quanto os políticos brancos brasileiros não estão nem um pouco preocupados com o racismo e seus efeitos devastadores. Que políticas públicas para a população negra se pode esperar de alguém que enxerga pessoas negras como inferiores? Como esperar que um candidato ao governo desses paute o combate ao racismo, se ele mesmo deixa seu racismo escapar com tamanha naturalidade? Está muito nítido quem Sílvio representa e a quem serve o seu projeto político.

Enquanto população negra e, principalmente, enquanto mulheres negras, nos cabe romper com o costume de eleger representantes brancos para os cargos de tomada de decisão e entender que apenas votando em nossas iguais, veremos o debate racial avançar no Brasil. Não podemos continuar dando aos homens brancos o poder de nos governar e nos tratar como inferiores. Somos negras, somos inteligentes e somos mais que capazes de ocupar os espaços de poder para impedir que situações como esta continuem se repetindo diariamente. 

Povo do Piauí já sabe, hein!? Mulheres negras e eleitores que se dizem antirracistas: NÃO VOTEM NO RACISTA SILVIO MENDES!

Nas eleições de 2022, vamos eleger mulheres negras!

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.