Abertura da 3ª Semana Elitânia de Souza – Pela Vida das Mulheres Negras é marcada por denúncias e protestos na UFRB e pelas ruas de Cachoeira (BA)

Este ano, a Semana Elitânia de Souza integra também a Jornada Pela Vida das Mulheres Negras: Contra Violência Doméstica e o Feminicídio, realizada pela Rede de Mulheres Negras do Nordeste

Redação Odara

A 3ª edição da Semana Elitânia de Souza – Pela Vida das Mulheres Negras foi iniciada na tarde da última terça-feira (22). A abertura aconteceu no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) em Cachoeira (BA).

A mesa de abertura contou com as participações da ativista do Instituto Odara Joyce Lopes; das professoras da UFRB Luciana Brito, Márcia Clemente, Marcela Souza; da advogada Janine Souza; e das ativistas Patrícia Santana, Rede de Mulheres Negras da Bahia, e Carine Pereira, do Coletivo de Mulheres Tereza de Benguela; e do pesquisador e ativista do Coletivo Angela Davis, Udinaldo Júnior.

Em seguida, as intervenções artísticas ficaram por conta das artivistas Velka, Livre Expressão MCs, Adrielle Poetisa e Yakurinxirê. Para finalizar a atividade, foi realizado um ato público, saindo do CAHL em direção ao local onde Elitânia foi assassinada em 2019. Durante o percurso, foram colados cartazes em protesto contra a violência à mulher e pedindo justiça por Elitânia e todas as vítimas de feminicídio no estado da Bahia.

Sobre a Semana Elitânia de Souza

A Semana Elitânia Souza – Pela Vida das Mulheres Negras é realizada desde 2020 com o objetivo de  denunciar a constante situação de violência ao qual mulheres negras estão inseridas e é uma resposta ao brutal assassinato da jovem liderança quilombola de 29 anos, Elitânia de Souza, ocorrido no dia 27 de novembro de 2019. 

Elitânia foi morta pelo ex namorado, Alexandre Passos Silva Góes, quando saía da aula do curso de Serviço Social da UFRB, no município de Cachoeira – Ba, onde estudava.

A Semana Elitânia de Souza é organizada pelo Instituto Odara, em parceria com o Coletivo Angela Davis, o CAHL – UFRB, professoras e estudantes do curso de Serviço Social da UFRB, além de outras organizações e coletivos que têm somado na construção dessa agenda.

Desde a primeira edição, a Semana se alinha à agenda internacional feminista dos 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. A partir desta edição, numa parceria com a Rede de Mulheres Negras do Nordeste, a Semana passa a integrar também a Jornada Pela Vida das Mulheres Negras: Contra Violência Doméstica e o Feminicídio, que tem atividades nos nove estados da região.

As atividades da Semana Elitânia de Souza seguem até o dia 27 de novembro.

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.