Estão abertas as inscrições de atividades para a agenda coletiva da 12ª edição do Julho das Pretas

O Julho das Pretas chega em sua 12ª edição e abre inscrições para as atividades que vão compor a agenda coletiva de 2024. Neste ano o tema da agenda segue sendo “Mulheres Negras em Marcha por Reparação e Bem Viver”, com o objetivo de apontar para a Marcha das Mulheres Negras por Reparação e Bem Viver, que acontecerá em Brasília (DF), em 2025. 

O tema também propõe o fortalecimento da luta por reparação histórica para a população negra e traz o Bem Viver como um projeto de sociedade que orienta o movimento de mulheres negras no Brasil.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 14 de junho através do formulário disponível aqui. As atividades incluem rodas de conversa, festivais, exposições, ciclos de formação política, seminários e marchas, dentre diversas outras ações que dialoguem com o tema da edição.

Podem inscrever atividades organizações e coletivos de mulheres negras, organizações de movimentos negros e organizações sociais em geral que tenham o antirracismo e o combate ao sexismo como perspectiva central de sua atuação, instituições de ensino, grupos de pesquisa, associações de categorias trabalhistas, grupos de empreendedoras negras e empreendedoras negras individuais.

Inscrições realizadas por autarquias e instituições do Estado, partidos políticos e empresas privadas que não sejam de propriedade de mulheres negras serão desconsideradas.

O 12º Julho das Pretas – Mulheres Negras em Marcha por Reparação e Bem Viver é organizado pela Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB), Rede de Mulheres Negras do Nordeste e Rede Fulanas – Negras da Amazônia Brasileira. 

A agenda foi criada em 2013 pelo Odara – Instituto da Mulher Negra em celebração ao 25 de Julho – Dia Internacional da Mulher Negra Afro Latino Americana e Caribenha. O Julho é uma ação de incidência política voltada para o fortalecimento da ação política coletiva e autônoma das mulheres negras nas diversas esferas da sociedade brasileira.

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *