Mandata Coletiva Juntas (PSol – PE) denuncia deputado estadual Alberto Feitosa (PL – PE) por ameaça contra a codeputada Jô Cavalcanti

O episódio aconteceu durante plenária virtual da Assembleia Legislativa de Pernambuco, na terça-feira (31)

Redação Odara

Em nota pública, a Mandata Coletiva Juntas (PSol-PE), da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), denuncia a ameaça do deputado estadual Alberto Feitosa (PL) contra a codeputada Jô Cavalcanti durante plenária virtual realizada na terça-feira (31).

Na ocasião, Jô discursava sobre a situação das fortes chuvas que atingiram o estado no final do mês de maio, deixando dezenas de mortos e milhares de pessoas desabrigadas. Em dado momento de seu discurso, a codeputada mencionou que Alberto Feitosa guarda uma arma no seu gabinete da Alepe, fazendo menção ao vídeo em que ele aparece mostrando o objeto e ameaçando receber os brasileiros a bala caso batam em sua porta.

O vídeo foi gravado por Feitosa após o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) sugerir que os brasileiros se dirijam às casas dos políticos para fazer cobranças e “incomodar a tranquilidade” dos parlamentares.

Em resposta à fala de Jô Cavalcanti, o deputado disparou:

“A arma não ‘tá’ aqui para ‘tá’ guardada não, viu? A arma está aqui na minha cintura para ser usada. Quem tentar violar a minha integridade física, a integridade da minha família ou tentar invadir a minha residência, a senhora entendeu? Porque arma foi feita para isso, arma não foi feita para ser guardada não, arma foi feita para a pessoa se defender. E a arma não mata, quem mata ‘é’ as pessoas”.

Após o ocorrido, as codeputadas se reuniram com o presidente da Assembleia Legislativa, Eriberto Medeiros (PP), para solicitar medidas protetivas, alegando que além da fala do deputado, elas têm recebido ameaças e xingamentos de perfis bolsonaristas em suas redes sociais.

A mandata Juntas também pretende acionar a Comissão de Ética da Alepe para protocolar um pedido de cassação contra Alberto Feitosa e o Ministério Público (MP) para abrir um processo contra o deputado.

“A violência de gênero é muito forte. Nós (codeputadas) estamos sendo violentadas desde o dia em que chegamos na Assembleia Legislativa, principalmente nas ações que o próprio deputado Alberto Feitosa tem feito contra o nosso mandato”, declarou Jô Cavalcanti ao portal Marco Zero.

Em suas redes sociais, o deputado vem negando que tenha feito ameaças contra Jô Cavalcanti e classifica o caso como fake news.

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.