OPORTUNIDADE para MULHERES NEGRAS Jornalistas, Publicitárias, Relações Públicas, Social Medias, graduadas ou estudantes!

Temos vagas para 1 Jornalista; 1 Social Media; e 1 Estagiária de Comunicação.

O Odara – Instituto da Mulher Negra é uma organização negra e feminista, centrada no legado africano, voltada para o fortalecimento das mulheres negras, e por consequente, da população negra e da sociedade brasileira como todo. Atuamos através de programas e projetos a nível local, em Salvador, estadual, na Bahia, regionalmente, na Região Nordeste, nacional e internacionalmente.

Em nossa organização, o Programa de Comunicação é responsável por nossa Comunicação Estratégica, Gestão de Redes e Assessoria de Comunicação, mas não só. Entendemos a Comunicação como um direito humano fundamental e apostamos na comunicação como estratégia e meio de transformação do olhar, pensar, sentir e mobilizar sujeitos e instituições pela garantia dos direitos humanos de maneira transversalmente antirracista e antissexista.

Desta forma, desejamos trabalhar com pessoas que tenham domínio, ou estejam em fase de aprendizado, de técnicas diversas da comunicação, mas que também sejam sensíveis e comprometidas com as questões de igualdade racial e de gênero; que se identifique com o trabalho desenvolvido pelas organizações sociais de mulheres negras; que tenham interesse nestas discussões e no constante aprendizado sobre estas.

As vagas são exclusivas para mulheres negras (pretas ou pardas) residentes em Salvador e região metropolitana.

Neste ano, ainda por conta das limitações sanitárias impostas pela pandemia da covid-19, o trabalho se dará de maneira semipresencial.


Para pleitear qualquer uma das vagas, a candidata precisa ser: uma pessoa criativa e proativa; comprometida com os valores do antirracismo, da igualdade de gênero, da defesa dos direitos humanos, da democracia, e da igualdade e justiça social como um todo; ser atenta e acompanhar notícias relacionadas aos direitos humanos, sobretudo das mulheres negras, e da população negra em geral; dominar ou estar em fase de aprendizado das técnicas da comunicação relacionadas ao jornalismo, à publicidade, à gestão de redes e criação de conteúdo, inclusive, da gramática normativa portuguesa.

É importante que a candidata seja flexível em relação à distribuição da carga horária de trabalho, visto que comunicação e luta antirracista são duas áreas comuns em relação ao surgimento de emergências. Esta mesma flexibilidade e sensibilidade, diante das necessidades e questões pessoais de nossas colaboradoras, faz parte do trabalho do Odara.

As etapas de seleção incluem: análise de carta de intenção, currículo e portfólio; entrevista; e desafio técnico.

ATENÇÃO: Na sua carta de intenção seja detalhista, mas objetiva e direta. Escreva porque você deseja pleitear a vaga; como o seu perfil e habilidade profissional se alinha ao trabalho desenvolvido pelo Instituto Odara; o que chama sua atenção na comunicação desenvolvida pelo Odara? Sugestões e críticas respeitosas são bem vindas. Aproveite a carta de intenção para já demonstrar suas habilidades de escrita e seu olhar crítico social. Releia e revise a carta antes de enviar. O envio de um portfólio não é obrigatório, mas qualifica nosso conhecimento sobre você e seu trabalho.

A Jornalista e a Social Media selecionadas cumprirão contrato de 6 meses, como possibilidade de renovação em igual período; e serão responsáveis por envio de nota fiscal mensal (avulsa ou Simples Nacional) referente à remuneração recebida.

A estagiária de comunicação selecionada firmará um contrato de estágio junto ao Odara, e não haverá necessidade de emissão de nota fiscal.

Características das vagas:


Jornalista:
Graduação em Comunicação com habilitação em Jornalismo; Precisa gostar de escrever e contar histórias; Ter domínio da produção de textos jornalísticos diversos, como notas, matérias factuais, reportagens e artigos; Acompanhar e se identificar com veículos jornalísticos de mídia negras, feministas, ativistas e comprometidos com a defesa dos direitos humanos, que priorizam a elaboração de narrativas mais aprofundadas sobre os fatos e fenômenos sociais. Ter experiência de trabalho em Jornalismo ou Assessoria de Comunicação é importante, mas não é o fundamental.

Carga horária: Até 40 horas semanais flexíveis, sendo até 20h presenciais e o restante home office.

Remuneração: R$ 18.000,00 distribuído ao longo de 6 meses.

Social media: Graduação em Comunicação (qualquer habilitação); Precisa ter experiência com marketing digital, estratégias e métricas de redes sociais; Habilidade de elaboração de textos curtos e conteúdos multimídias para redes sociais, sobre temáticas diversas relacionadas à atuação política do Odara – Instituto da Mulher Negra; Consumir conteúdos de redes sociais relacionados ao combate ao racismo, ao sexismo e às diversas opressões estruturais. Ganha ponto as candidatas que tenham habilidade e agilidade para edição de imagens simples e vídeos curtos em aplicativos, programas e recursos como pixart, inshort, capcut, canvas e/ou phtoshop, reels de instagram, tik tok e kwai;

Carga horária: Até 40 horas semanais flexíveis, sendo até 20h presenciais e o restante home office.

Remuneração: R$ 15.000,00 distribuído ao longo de 6 meses.

Estagiária em Comunicação: Estudante de Comunicação, de qualquer habilitação, a partir do 4º semestre; É importante gostar de escrever e contar histórias em diversos formatos linguísticos; Acompanhar e se identificar com veículos jornalísticos de mídia negras, feministas, ativistas e comprometidos com a defesa dos direitos humanos, que priorizam a elaboração de narrativas mais aprofundadas sobre os fatos e fenômenos sociais; Não é necessário ter experiência.

Carga horária: 20 horas semanais, sendo até 10h presenciais e o restante home office.

Bolsa estágio: R$ 1.140,00

Preencha o formulário e se inscreva clicando aqui!


Inscrições: De 15 a 27 de setembro.

Deixar uma resposta