Coluna Beatriz Nascimento #7 Diele Santos

Durante o mês de setembro, continuaremos a ver por aqui, a escrita insubmissa de mulheres negras na Coluna Beatriz Nascimento, uma exposição dos produtos das mulheres participantes da 3ª Turma da Escola de Ativismo e Formação Política para Mulheres Negras – Beatriz Nascimento; e o sétimo produto desta série, é um poema sobre a força do quilombo, pensado e escrito pelas mãos da Diele Santos.

Leia o poema completo a seguir.

Aquilombar-se

A gente faz história sem perceber

quando uma irmã vê a possibilidade em você

renasce nela o desejo de ser, crescer, vencer, viver

e não mais sobreviver.

Sankofa nos ensina

é preciso retornar ao início para se encontrar

e só então seguir em frente

tendo em mente

que somos descendentes de quem lutou para fazer do quilombo lugar quente para almas

doentes.

No passado busco força e energia de encontrar a mim

assim me tornar eu

ao ser eu

quando encontro tu

formamos nós

nós que viram laços

laços que se tornam elos

elos que não desatam

porque são feitos de afetos.

Entenda!

o contrário da casa grande é quilombo

eu quero e vou me aquilombar

quando as minhas, eu amar

quando as minhas, eu enxergar

quando não mais nos anular

quando não mais nos apagar

de uma vez por todas nos humanizar.

Entenda!

Senzala, o contrário de casa grande jamais será

porque se lá

na casa grande, o sinhô e a sinhá fazem morada

o quilombo é nosso lar

onde encontramos dengo, força, afeto, carinho

um lugar para de plenos pulmões respirar

estamos prontas para nos aquilombar.

Quem é Diele Santos?

Diele é uma mulher negra e soteropolitana raiz, tem apreço por músicas, filmes, literatura e tatuagem. Psicóloga clínica com atuação racializada, pós graduanda em Fenomenologia Decolonial e Clínica Ampliada. Militante nas causas de gênero e raça.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.