Edital Maria Elza dos Santos – Movimento de Mulheres Negras do Nordeste pelo direito à Educação

Edital do Instituto Odara, em parceria com a Rede de Mulheres Negras do Nordeste, vai apoiar com
R$ 50 mil reais ações de organizações filiadas à referida Rede, e engajadas na luta por
educação digna e de qualidade para a população negra

Em um movimento histórico, o Odara – Instituto da Mulher Negra, em parceria com a Rede de Mulheres Negras do Nordeste, lança o Edital Maria Elza dos Santos – Movimento de Mulheres Negras do Nordeste pelo Direito à Educação, iniciativa que tem como objetivo central fortalecer e ampliar ações das organizações que compõem a Rede de Mulheres Negras do Nordeste, em torno da implementação das Leis 10.639 e 11.645, e do Plano Nacional de Educação (2024-2034) na Região Nordeste. O edital é uma resposta direta ao desafio de combater o racismo, o sexismo e outras formas de violações de direitos humanos que persistem no cenário educacional brasileiro.

Naiara Leite, coordenadora executiva do Instituto Odara, destaca a importância como uma oportunidade para fortalecer as organizações de mulheres negras na região. “Eu acho que esse edital tem uma potência muito grande no sentido de cruzar ações que já vêm sendo feitas pelo Movimento de Mulheres Negras no Nordeste com o olhar para o Plano Nacional de Educação. É fundamental que nos questionemos sobre os motivos pelos quais, mesmo após 20 anos da Lei 10.639, ainda estamos lutando pela sua implementação efetiva”.

Serão apoiados nove projetos com um investimento de R$50.000,00 cada, distribuídos em duas parcelas, conforme cronograma estabelecido no edital. A seleção dos projetos será realizada pelo Odara. As inscrições podem ser realizadas até 5 de abril de 2024, clicando aqui

Naiara Leite também ressalta que é “importante pensar em uma educação onde crianças, adolescentes, jovens e a população negra em geral não vivam situações de opressão e violência que os afastem do acesso à educação. É necessário olhar para o que nós queremos para o PNE  à luz do que o movimento de mulheres e movimento negro vem fazendo há muitos anos no Brasil”, sinaliza.

Maria Elza dos Santos, que dá nome ao edital, é uma ativista negra quilombola, educadora, originária do quilombo Vazante, localizado no município de Seabra (BA). A ação do Odara, que homenageia dona Maria Elza, busca impulsionar ações que enfrentam os desafios na implementação das leis que visam à inclusão das temáticas étnico-raciais no ambiente educacional.

Maria Elza dos Santos é uma ativista negra quilombola, educadora, originária do quilombo Vazante (BA).

Érika Francisca, coordenadora do projeto Ayomide Odara, destaca a importância de reconhecer e celebrar o legado de Maria Elza. “O nosso edital presta uma sincera reverência a dona Elza, uma mulher negra, quilombola, potente, que nos orienta a partir da sua força a importância da educação nas nossas vidas de forma simples mas bem direta, é importante homenagear e reconhecer a força, a resistência e as conquistas de dona Elza hoje e sempre.”

O edital, dividido em três eixos temáticos, abrange desde a inserção das questões étnico-raciais no PNE até a formação política voltada para o enfrentamento do racismo patriarcal e das violações dos direitos humanos. As organizações interessadas devem apresentar propostas alinhadas com esses eixos.

As inscrições do edital foram prorrogadas! Podem ser realizadas até 8 de abril!

Edital Maria Elza dos Santos

Formulário de Inscrição Maria Elza dos Santos

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *