Samuel Caio dos Santos, adolescente negro de 15 anos, é assassinado durante operação da polícia militar na Boca do Rio, em Salvador (BA)

Compartilhe:

O adolescente foi atingido por disparos de arma de fogo e não resistiu aos ferimentos

Redação Odara

Na noite da última quinta-feira (21), o adolescente Samuel Caio dos Santos de Oliveira, de 15 anos, foi morto a tiros durante uma operação policial realizada na comunidade da Baixa Fria, no bairro da Boca do Rio, em Salvador (BA).

Como de costume, a versão da polícia conta que o adolescente portava armas e drogas e que os policiais foram recebidos a tiros ao chegar na localidade. No entanto, Cintia Oliveira, mãe de Samuel, e outros moradores da comunidade, negaram que houve confronto.

“Eles precisam arranjar outra justificativa para esses casos, porque esse negócio de confronto já está manjado, já está feio”, disse a mãe do menino em entrevista ao jornal Correio.

Moradores denunciaram também que a polícia não permitiu que a mãe de Samuel prestasse socorro ao filho que gritava por seu nome. “Quando a mãe tentou se aproximar, dar socorro, os policiais nem deixaram ela encostar, já levaram o corpo embora e a gente sequer sabe pra onde levaram”, contou também ao correio um morador que preferiu não se identificar.

Os familiares de Samuel precisaram ainda rodar a cidade em busca do corpo do garoto, já que os policiais o colocaram no porta-mala de um carro e saíram sem informar para onde o estavam levando.

Moradores da comunidade da Baixa Fria realizaram um ato na sexta-feira (22) para pedir paz no bairro e justiça por Samuel.

Mais uma vez, vale lembrar que a morte de mais um jovem negro pelas mãos da polícia militar é um modus operandi e não um caso isolado. Em 2020, a letalidade policial no Brasil atingiu o número recorde de 6.416 ocorrências, onde 78,9% das vítimas eram pessoas negras. No mesmo ano, 1.137 pessoas foram mortas pela polícia na Bahia e TODAS as vítimas eram homens negros.

Assine o Boletim Odara:



Compartilhe:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.